Postado por : Patricia Gonçalves 24 abril 2013


Título: O Símbolo Perdido
Autor: Dan Brown
Páginas: 512
Editora: Sextante

Ano: 2009
Resenha por: Patricia Gonçalves
Dan Brown significa polêmica, todos já sabem disso. Em todos os livros que escreve, o autor faz questão de abordar temas extremamente profundos dentro da sociedade de uma forma única e um tanto quanto odiada por muitos. E neste não poderia ser diferente. Mas pra alguém que como eu, já leu todas as publicações dele, vai perceber que esse é de longe o melhor deles!

Prepare-se para rever velhos conceitos e mergulhar fundo em uma trama recheada de reviravoltas.

O simbologista mais famoso do mundo está de volta, e dessa vez Robert Langdon vai ter que enfrentar seus inimigos no coração dos EUA, a capital Washington. Tudo começa quando ele é convidado a ministrar uma palestra na cidade, a convite de seu ilustre amigo maçom Peter Solomon. Contudo,  Mal'akh, um fanático pela história maçônica da fundação dos EUA, seqüestra Peter, fazendo com que Robert comece uma caçada louca pela cidade atrás do amigo.

Mal'akh acredita que os maçons detêm o conhecimento sobre os assuntos mais profundos da humanidade, a verdadeira chave pra conseguir transcender a carne e alcançar a Iluminação... Devido a isso, ele é capaz das piores coisas possíveis. E é através de seu pensamento doentio que passamos a entender melhor suas motivações.

Falando em maçons, de uma maneira ou outra, eles estão sempre envolvidos nos livros do autor. Contudo nesse, ele tenta desmistificar uma série de suposições que as pessoas costumam fazer sobre a Ordem Maçônica, o que achei muito legal...
Um fato que simplesmente amo sobre a narrativa do Dan Brown, é como ele consegue fazer com os que os personagens interajam com os cenários onde estão! Quem leu sabe do que estou falando... É como se você estivesse fazendo um tour pela cidade e Dan fosse seu guia, te levando a conhecer os monumentos e locais mais famosos, enquanto a ação do livro se desenrola... Perfeito!

Mas claro que nada é fácil demais. Robert é caçado por Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. O que rende ótimas cenas de ação/perseguição, fiquei sem fôlego em certas partes.
Enquanto tenta seguir pistas para desvendar o mistério que ronda esse seqüestro, Langdon acaba encontrando com a irmã de Peter, uma renomada cientista chamada Katherine. É ai que a coisa começa a tomar um cunho mais profundo... Acontece que Katherine está estudando os efeitos dos pensamentos no mundo físico.
- O que estou dizendo é o seguinte: duas cabeças pensam melhor do que uma, mas não são duas vezes melhor, e sim muitas vezes melhor. Várias mentes trabalhando em uníssono ampliam o efeito de um pensamento... de forma exponencial. É esse o poder inerente aos grupos de oração, aos círculos de cura, aos cantos coletivos e às devoções em massa. A ideia de uma consciência universal não é um conceito etéreo da Nova Era. É uma realidade científica palpável... e dominar essa consciência tem o potencial de transformar o mundo. Essa é a descoberta fundamental da ciência noética. E o que é mais importante: isso está acontecendo agora. É possível sentir essa mudança à nossa volta. A tecnologia está nos conectando de formas que jamais imaginamos: veja o Twitter, o Google, a Wikipédia e tantas outras coisas... tudo isso se une para criar uma rede de mentes interconectadas. - Ela riu. - E garanto a você: assim que eu publicar meu livro, todo mundo vai começar a postar no Twitter coisas do tipo "aprendendo sobre ciência noética", e o interesse por essa disciplina vai explodir de forma exponencial.
Nesse momento é onde somos levados a uma profunda reflexão sobre várias coisas. Sabe aquele velho ditado: “Pensamentos positivos atraem coisas positivas”? Katherine tenta justamente com sua pesquisa provar isso... E acabamos nos questionando durante a leitura: da onde surgem nossos pensamentos, nossas motivações? Um pensamento, uma idéia, a força da mente pode realmente ter força física e alterar coisas ao nosso redor?

Como se não bastasse isso, Dan Brown ainda nos apresenta conceitos até então pouco conhecidos, como Ciência Noética (não tem nada haver com Noé, por favor!) e a Teoria das Supercordas... Não vou explicar aqui porque vamos fugir do foco do livro, mas se ficou interessado (a) dê uma procurada no Google ;)

Quando terminei o livro, tive a nítida sensação de que Dan Brown quis deixar uma mensagem para todos nós... Uma mensagem sobre algo maior, poderoso, que une todos os seres humanos, isso sem qualquer apologia à nenhuma religião ou seita. Enfim, um livro denso, instigante e muito bom! 

Recomendado pra aqueles que possuem uma mente aberta e desejam ter um outro olhar sobre as coisas da vida.



Comentários
8 Comentários

{ 8 comentários... comente você também }

  1. Olá, Patricia!
    Eu gosto muito dos livros do Dan Brown, ainda não li esse, mas sua resenha ficou muito boa.

    Beijos!

    Café com Leituras!
    http://cafecomleiturasneriana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neriana, como eu disse esse é um dos melhores do Dan! Vale muito a pena ler ;)

      Excluir
  2. Oi Patricia,
    Eu gosto muito dos livros do Dan Brown, meu favorito é o Código Da Vinci, mas já li todos, adorei sua resenha, você está de parabéns!!!
    Adorei poder conhecer o blog, ele é lindo, muito bem estruturado, desejo todo o sucesso pra ele!
    Espero agora que o conheci estar aqui mais vezes, meu blog está sorteando o Livro Inferno de Dan Brown e gostaria de te convidar pra dar uma passadinha por lá!!!
    Já estou participando das promoções do blog!
    Beijos
    http://coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patty, primeiramente eu gostaria de agradecer os elogios sobre a minha resenha e ao blog. Ficamos muito felizes ao saber que estamos agradando o público :D Está mais do que convidada a vir sempre!

      Já estou participando da promoção do seu blog! Nossa, quase pulei da cadeira quando vi! Espero que eu ganhe :)

      Excluir
  3. Ai gente eu comecei a ler esse livro e meio que abandonei...não sei se na época não estava com clima para a leitura mais não consegui me empolgar com o livro..e olha que sou apaixonada pelas histórias do Dan ..mais essa não me ganhou..tenho o livro e pretendo dar outra chance a ele..

    ResponderExcluir
  4. Já eu sou traumatizada com o Dan. Odiei Código DaVinci e foi o primeiro livro que abandonei na vida!

    ResponderExcluir
  5. Aqui em casa tem esse livro, mas pra ser sincera eu não tenho vontade de ler, eu sei que o autor é muito bom e etc etc, mas o livro não me anima, eu vi o filme e acho que já basta.

    ResponderExcluir
  6. Dan é ótimo né? Meu amigo é fã por demais dele e sempre que nos reunimos ele fica falando sobre. Lembro na bienal que ele ficou caçando coisas dele KKKK e ele já tinha tudo, enfim. Muito bom o livro.

    ResponderExcluir

^

- Copyright © 2013 Quatro Amigas e um Livro Viajante - Hospedado pelo Blogger -