Postado por : Thainá Cristina 17 março 2014

Título: Todo Dia
Autor: David Levithan
Páginas: 280
Editora: Galera Record
Resenha por: Ingrid Sodré
Compre: Submarino | Mais
"Acordo. 
Imediatamente preciso descobrir quem sou. Não se trata apenas do corpo - de abrir os olhos e ver se a pele é clara ou escura, se meu cabelo é comprido ou curto, se sou gordo ou magro, garoto ou garota, se tenho ou não cicatrizes. O corpo é a coisa mais fácil à qual se ajustar quando se está acostumado a acordar em um corpo novo todas as manhãs. É a vida, o contexto do corpo, que pode ser difícil de entender.
Todo dia sou uma pessoa diferente. Eu sou eu, sei que sou eu, mas também sou outra pessoa.
Sempre foi assim."
página 7

É com esse trecho que início a resenha de um dos livros mais incríveis que já tive oportunidade de ler. Trata-se de um livro extremamente humano, repleto de reflexões e filosofias sobre os conflitos da vida, do cotidiano. Por essa razão, é muito complexo argumentar sobre algo tão intenso como foi essa leitura.

Você já imaginou como seria estar num corpo diferente todos os dias? "A" é hospedeiro de um corpo diferente todas as manhãs, sua vida é assim desde que nasceu. A não entende a razão pela qual cada dia se encontra num corpo distinto, mas depois de um tempo desiste de entender e simplesmente vive o dia. A não tem sexo, ora se hospeda em meninos, ora em meninas, mas sempre pessoas com sua idade, 16 anos. Logo que acorda, A consegue acessar as informações básicas para sobreviver o dia, mas sempre procura não interferir e, principalmente, visa não se envolver afetivamente com nenhuma pessoa que passa pela sua vida temporária.
Tudo ocorre como de costume, até quando A se hospeda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon.

"Quando tiro os livros de Justin do armário, posso sentir que alguém está me rondando. Dou meia-volta; a garota parada ali é transparente em suas emoções: tímida e ansiosa, nervosa e apaixonada."
página 9

Justin e Rhiannon têm um relacionamento questionável, A se vê encantado com Rhiannon e deseja proporcionar à ela um dia incrível, um dia que Justin não poderia lhe conceder. A partir desse daí, A quebra todas as regras que estabeleceu e o inevitável acontece: A se encanta pelo jeito doce da garota. Uma cumplicidade é construída e A luta todos os dias para encontrar sua amada, embora esteja em um corpo diferente. Mas como esperar que alguém que acredite e, principalmente, entenda sua realidade? Será possível manter um relacionamento com alguém que sempre está em um corpo diferente a cada dia?

"As pessoas não dão valor à continuidade do amor, assim como não dão valor à continuidade do corpo. Não percebem que a melhor coisa sobre o amor é a sua presença constante. Assim que você estabelece isso, sua vida ganha uma base extra. Mas se você não pode ter essa presença constante, só tem uma base para sustentá-lo, sempre."
página 53

"Todo Dia" tem um enredo sensível, único e humano. Em todos os momentos as reflexões de A causam efeito no leitor, sua visão de mundo transborda sensibilidade e intensidade. A narrativa do autor é intimista e flui naturalmente, tão leve quanto suas palavras. David Levithan abordou de forma inteligente e sútil diversos assuntos como amor, religião, alcoolismo, bullying e principalmente o preconceito a respeito do homossexualismo.

Sobre termos estéticos e diagramação, a Editora Record fez um bom trabalho. Não houve erros de revisão, as páginas são amareladas e as letras com tamanho mediano, padrões ideais para uma boa leitura.
É um livro, que na minha concepção deveria ser leitura obrigatória para qualquer ser humano.

"Na minha experiência, desejo é desejo, amor é amor. Nunca me apaixonei por um gênero. Apaixonei-me por indivíduos. Sei que é difícil as pessoas fazerem isso, mas não entendo por que é tão complicado, quando é tão óbvio."
página 123


Resenha por
Ingrid Sodré


Sobre a autora: 
Meu nome é Ingrid Sodré, tenho 18 anos e sou estudante de Arquitetura e Urbanismo. Tenho paixão pelas coisas simples da vida. Adoro ler, escrever, fotografar e desenhar. Tenho um blog pessoal e nele contém fragmentos meus. 

Comentários
2 Comentários

{ 2 comentários... comente você também }

  1. Ingrid adorei sua resenha !
    Eu vi tantas críticas positivas a respeito do livro e sua resenha falou dele de uma forma tão doce e ao mesmo tempo profunda.
    Acho que esses tipos de livros mexem com nós de maneiras variadas , nós fazem pensar o que é importante ?

    Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Estou tão feliz em contribuído para o blog, principalmente porque esta é, na verdade, a primeira resenha que escrevo. Espero que gostem! <3

    ResponderExcluir

^

- Copyright © 2013 Quatro Amigas e um Livro Viajante - Hospedado pelo Blogger -