Postado por : Alessandra Regina 13 novembro 2014

Título: Enquanto A Chuva Caía
Autor: Christine M.
Páginas: 288
Editora: Novo Conceito
Resenha por: Alessandra
Li certa vez que se um livro não te enlaça nas primeiras quarenta páginas, dificilmente o fará depois disso. 

Claro, sempre há controvérsias em afirmações como esta. Mas esqueçam as primeiras quarenta páginas, eu precisei apenas do primeiro parágrafo:
“A única coisa que não consigo controlar em situações de crise é o batimento cardíaco. Eu faço o que tenho que fazer: interrogo, bato, invado esconderijos e até mato. Tudo bem para mim. Só que faço tudo isso com o coração latejando na minha carótida. Fico calmo, dou até risinhos, mas a veia atravessada no meu pescoço parece querer saltar pele afora, e isso me enerva.”
 PAREM AS MÁQUINASSSS!!! 

Já encontramos um dos melhores livros do ano!

“ENQUANTO A CHUVA CAÍA” é o quarto livro da escritora Paulista CHRISTINE M., e é mais um dos grandes lançamentos do selo NOVAS PÁGINAS da EDITORA NOVO CONCEITO, deste ano.

“Em alguns dias avanço; em outros, retrocedo. Mas ainda não desisti de continuar tentando.” 
Porto Alegre, Brasil. ERIK GOUVEIA é advogado e trabalha para a polícia, mas está longe de ser um policial. É Erik quem limpa a sujeira que a justiça não pode - ou não quer - apagar. É ele quem está sempre um passo à frente da investigação. O que vai aonde os olhos da lei não conseguem ir. Quando os dois lados de um crime se apresentam, cada um tem a sua versão, mas Erik tem a verdade. Ele encontra, resolve e extermina, é isso que impulsiona as batidas do seu coração, já que todas as suas emoções foram escoadas para bem longe de seu peito quando sua namorada, filha de um importante juiz, foi raptada e jamais foi encontrada. Todos têm um grande amor na vida e Erik já perdeu o seu. 

Mas Erik cometeu um pequeno deslize, um deslize que quase lhe custou a vida. Um tiro o mandou, após longa internação, para uma temporada de descanso forçado na casa de sua única irmã, Cecília, mais velha e extremamente protetora. O que Erik ainda não sabe é que ele está muito encrencado. Bem quando acreditava que iria voltar para sua antiga vida novos acontecimentos determinam que ele  precisará se esconder, sumir por uns tempos. O local escolhido como esconderijo é a Holmes & Lewis, uma renomada empresa de auditoria em Nova York, onde Erik irá trabalhar como advogado até que as coisas no Brasil se acalmem. 

Nova York, Estados Unidos. MARINA MULLER vai assumir a presidência de uma das maiores e mais bem conceituadas empresas de auditoria do mundo, a Holmes & Lewis. O império construído por seus pais terá que passar para as mão de sua única herdeira, pois seu pai, o admirado Josef Holmes, foi repentinamente consumido pelo Alzheimer. 

Marina cresceu nos corredores desta empresa, conhece tudo sobre ela e sabe que está pronta - ainda que prematuramente - para comandá-la. Aliás, prematuridade parece ser o carma de Marina. Ela casou-se aos vinte anos com o grande amor da sua vida, Adam, um médico de carreira promissora que decidiu se alistar para lutar no Iraque. Adam é morto em combate, deixando Marina sem chão e viúva. Agora, aos vinte e seis anos, Marina sente profundamente a falta do pai e a ausência de Adam. A empresa é sua segunda casa, quando não está na Holmes & Lewis, sendo uma CEO exemplar, está sentada em baixo de uma linda árvore no cemitério de Green-Wood, onde jogou as cinzas de Adam e onde costuma passar todos os seus fins de tarde. 
“Ele fica perto o suficiente para me socorrer e longe o bastante para me fazer acreditar que minhas imensas é ridículas quedas são apenas escorregões corriqueiros. Acho que essa é a melhor definição de amigo que eu consigo imaginar.”
Depois de tanto tempo lendo e analisando livros é natural acabar se familiarizando com as etapas do desenvolvimento de uma história: situação, quebra da situação, conflito, clímax e desfecho, é isso! Às vezes não necessariamente nestes termos, ou nesta ordem, mas em suma, é isso. 

A magia de “ENQUANTO A CHUVA CAÍA” fica na experiência de passar por cada uma dessas etapas sem perceber; ou melhor, tão submerso a trama que não seja possível facilmente apontar quanto da emoção que emerge da história é do personagem ou, inevitavelmente, sua. Me senti  envolvida, extasiada e emocionada em cada uma de suas quase 300 páginas, e lhes digo: QUE LIVRO FANTÁSTICO!

Eu li “ENQUANTO A CHUVA CAÍA” em algumas horas, e não foi nem uma, nem duas vezes, que eu parei, arregalei os olhos e pensei: Estamos, oficialmente, produzindo histórias em padrões excepcionais. Agora é só traduzir e exportar para o mundo.


Em “ENQUANTO A CHUVA CAÍA” tudo funcionou com extrema perfeição: uma narrativa pontual, enxuta, assertiva e envolvente, isso tudo somado a personagens arrebatadores em um texto fluído e delicioso. CHRISTINE M. é uma escritora claramente diferenciada pela intensidade de seu texto, e sua alta qualidade técnica salta aos olhos. É um livro indiscutivelmente bem escrito.
“Você é encrenca, eu sempre soube. Mas você é a minha encrenca...”
Gostaria de fazer uma observação pontual aos diálogos. Caros, não é das tarefas mais simples - e fáceis – manter dois personagens interagindo e dialogando de maneira tão passional e eloquente - e por tantas páginas - sem que, em nenhum momento, a trama perca seu rumo e seu ritmo.

Sabe aquele livro que você lê se mexendo? Aqueles que você senta, ri, levanta, suspira, deita, NÃO CONSEGUE ficar quieta, pois bem, assim é a leitura de “ENQUANTO A CHUVA CAÍA”.

E quando eu percebi que as páginas estavam acabando??? 


A capa deste livro dispensa comentários, é simplesmente MA-RA-VI-LHO-SA. A diagramação é mais um trabalho primoroso da NOVO CONCEITO. Cada começo de capítulo traz a estrofe de uma música, todas muito lindas!!!! Ouvi várias delas durante a leitura. 
Obviamente foi a minha indicação no "DIA DO LEITOR" da Novo Conceito 
Gente, é isso! Aqui falou uma fã de Literatura Nacional extasiada, animada e feliz! SIM, já estou correndo atrás dos outros livros da Chris M., e estou perseguindo-a em todas as redes sociais.

Também estou pensando em aplicar para ser "beta- reader" da lista de material escolar 2015 que ela possa vir a elaborar para os seus filhos!

E para terminar, um dos melhores quotes que já li nesta minha prazerosa e interrupta peregrinação literária:
“Talvez o instinto seja apenas a nossa lógica pegando um atalho para se livrar da burocracia da razão.”

Comentários
5 Comentários

{ 5 comentários... comente você também }

  1. OK Alê você me convenceu a ler um livro nacional, SÉRIO !
    Que resenha é essa ? cara eu fiquei me roendo e desejando saber mais do livro..
    Aliás, vc sempre tem o dom de fazer isso , né ? Consegue expressar tão bem em palavras o que sentiu ao ler um livro que nem sei como não leio tudo que vc lê e resenha.

    ResponderExcluir
  2. Para! Que livro é esse? fiquei sem palavras para dizer o quanto esse livro parece ser maravilhoso, mesmo. E que primeiro paragrafo é esse? Vou correndo para a livraria que tem aqui perto de casa para poder comprar. Já tinha visto esse livro em outros lugares mas nunca parei para ler nada sobre ele. A sua resenha está maravilhosa também. Fiquei até sem ar rsrsrsrs
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Alessandra!
    Fiquei extasiada com o livro também quando o li e como sempre digo: nossos autores nacionais nada devem aos estrangeiros, e muito pelo contrário, dão um show de criatividade, desenvoltura e imaginação.
    A capa é belíssima mesmo e tem todo um significado.
    Li e fiquei envolvida totalmente com a leitura e claro que como você, recomendo.
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. UAU! Que resenha, quero mais. (Todas as resenhas feitas neste blog, as que li e claro, sempre me deixam com um gostinho de quero mais) KKKKK.

    Capa do livro perfeita, um enredo mega envolvente (não conheço o livro, mas e isso que sua resenha me diz). Contoda certesa vou comprar esse livro pra ler!

    ResponderExcluir
  5. Bom, eu já conhecia o livro mas ainda não li. Eu já vi em algumas resenhas algumas pessoas que não gostaram nadinha do livro e isso me desanimou um tanto, não vou negar. Ainda estou na duvida ainda sobre ele. E sim, realmente a diagramação tá linda, já vi em uma livraria.

    ResponderExcluir

^

- Copyright © 2013 Quatro Amigas e um Livro Viajante - Hospedado pelo Blogger -