Postado por : Victória Santana 27 abril 2015

Título: Se Eu Ficar
Série: If I Stay #1
Autora: Gayle Forman 
Páginas: 224
Editora: Novo Conceito
Resenha por: Victória Santana
Que esse livro causou um vendaval de opiniões divergentes ninguém pode negar, e chegou a hora de expor mais uma.

Se eu ficar é um livro profundo, que trata de forma doce sobre a vida e a morte, temas que tanto nos faz refletir. Escrito pela autora best-seller Gayle Forman em 2009, ganha enfoque novamente, com o lançamento do filme homônimo, nesse ano. Em "Se eu ficar" conhecemos a história de Mia, e como um evento numa manhã de inverno a muda totalmente. Ela é uma violoncelista, tem uma família linda, um namorado que ama e um futuro promissor. Mas depois de um acidente de carro levar sua família e a deixar entre a vida e a morte, ela precisa decidir se deve partir (morrer) ou ficar (sobreviver). E ao contrário do que parece, não é uma decisão fácil.

Já começamos a leitura tendo uma visão do acidente que marca para sempre a família Hall, família esta que vive pela música, até em seus últimos momentos. E assim acompanhamos a narrativa de Mia, intercalando a sua atual situação com suas lembranças. O livro não é dividido em capítulos organizados, o que temos é uma visão cronológica dos momentos que antecedem a decisão de Mia, em estado de coma, horários que marcam todo esse processo. 

“Não estou certa de que este é o mundo ao qual pertenço.
Não tenho certeza se quero acordar.”
Consegui sentir a Mia, e sua forma de amar. Senti as frustrações, medos e dificuldades típicas de uma adolescente. A construção de uma amizade verdadeira, a sensação de deslocamento e não aceitação familiar, as dúvidas sobre o amor que chegara muito cedo, tudo que faz da juventude uma aventura. Foi fácil entrar na mente e no coração de Mia, uma garota que se sentia solitária, mas vivia rodeada de amor.
A leitura é rápida, mas li lentamente. Quis absorver cada momento, cada lembrança que Mia expõe. Respirei o livro, só assim para entendê-lo completamente. Não foi um livro que me fez chorar desesperadamente no final, mas me emocionei constantemente no decorrer da leitura, me peguei querendo chorar e com os olhos marejados, ou com um sorriso bobo no rosto. A família de Mia é a coisa mais linda, Teddy rouba a cena com sua doçura e alegria. Kim é o ideal de melhor amiga. Adam, o maduro amor adolescente. Mas nem tudo são flores, porque é impossível ser, mas como também acredita Mia, apesar de todas as suas inseguranças e medos perante aqueles que tanto ama, ela é uma pessoa muito abençoada. Ela conhecia a felicidade. E por isso que é tão difícil decidir entre partir ou ficar, a incerteza de conseguir viver sem isso que ela já encontrara, e a dúvida se algum dia encontrará de novo, é dilacerante. Porque o amor ele fere, em todas as dimensões, porque ele é absurdamente forte e certo, e ao mesmo tempo muito errado.
“Não sei se depois que você morre consegue se lembrar das coisas que aconteceram com você ainda em vida. Há um sentido meio lógico que nos faz pensar que não, não nos lembramos. Que estar morto é como o estado em que nos encontramos antes de nascer, ou seja, um amontoado de coisas inexistentes.”
A Novo Conceito arrasou com a diagramação interna, as páginas são amareladas e grossas, e possuem a representação de claves em todas elas. O livro ainda vem com um item bônus, uma entrevista com as estrelas do filme, realizada pela própria Gayle Forman. Porém, deixou a desejar com a revisão, achei alguns erros que me incomodaram um pouco, mesmo não atrapalhando a leitura. 
“Se eu ficar. Se eu viver. A escolha é minha.”
“SE EU FICAR” – FILME

Estrelado por Chloë Grace Moretz, como Mia Hall e Jamie Blackley, como Adam, "Se eu ficar" se baseia na história de amor criada por Gayle Forman. Lançado em 4 de setembro de 2014 no Brasil, o filme de 1h46m, marca a estreia do diretor R. J. Cutler nas produções de longa metragem. 
A trama é a mesma do livro, mas no filme percebe-se um enfoque ainda maior ao romance entre Mia e Adam, o relacionamento deles se torna mais palpável e real. Com o filme, você estava de frente para uma relação mais apaixonante, no meio de todas as dificuldades que qualquer relação possui. Era lindo e verdadeiro.
As interpretações de todos os atores estão ótimas, eles sugaram seus personagens. Entretanto, não consegui me conectar com a Mia do filme tanto quanto fiz com a do livro. Ao contrário do Adam, que parece ter ganhado um refletor em sua cabeça e roubava sempre a cena. Também senti falta da Kim, como se a personagem tivesse sido colocada apenas como enfeite. 
Parabenizo a produção do filme pela dedicação e carinho com a parte musical, estava fantástica. Desde as músicas originais às versões especiais para o filme. A energia musical vibrava, ora com a banda de Adam ora com Mia no violoncelo, arrepios foram sentidos. A música nos faz diferentes em diferentes situações, e é tão lindo assistir a isso. A música é arma para o amor, para a tristeza, para a realização. É a arma do sentimento.
Link para Trilha Sonora do filme:

Comentários
2 Comentários

{ 2 comentários... comente você também }

  1. Oi!
    Adoro "Se Eu Ficar" conheci a historia pelo filme e gostei muito com certeza o ator que Interpreta o Adam deu um show e a trilha sonora ficou perfeita e a banda do Adam e a Mia tocando deu pra sentir e essa e uma das melhores coisas em relação ao livro, mas gostei mais do livro porque podemos entender mais a Mia e porque e tão difícil essa escolha entre ficar e ir !!!

    ResponderExcluir
  2. Sim, concordo totalmente! kkk Assim que me senti!

    ResponderExcluir

^

- Copyright © 2013 Quatro Amigas e um Livro Viajante - Hospedado pelo Blogger -