Postado por : Priscila Silva 15 maio 2015

Título: Devoção
Série: Devoção #1
Autora: J. C. Reed
Páginas: 288
Editora: Única Editora
Resenha por: Priscila
Brooke Stewart, é uma garota recém formada, acomodada em um emprego que seria temporário. Sonhando com os altos edifícios das empresas do ramo imobiliário, ela é uma dedicada e competente corretora de imóveis. Em uma reunião de negócios um tanto inusitada, ela conhece Jett Townsend, um cara lindo e atraente que supostamente estava ali no lugar do seu chefe Mayfield com quem Brooke tinha a reunião. 

Sua repentina atração por esse desconhecido deixa Brooke incomodada e confusa. Acostumada a rejeitar qualquer tipo de relacionamento que não seja o “sem compromisso”, ela se vê dividida entre sua carreira e o amor, quando é chamada para trabalhar em uma grande empresa, e percebe que aquele homem sexy seria nada menos que seu chefe. 

Cheia de dúvidas se esse relacionamento daria certo, ela concorda, depois de muita “insistência” – lê-se obsessão - de Jett em assinar um contrato de confiabilidade para que nem a posição dela, nem a dele se prejudique perante esse romance perigoso e quente. Brooke e Jett se entregam nessa paixão avassaladora, que poderá mudar o rumo de suas vidas, para um lugar desconhecido e enigmático. E um segredo obscuro, pode mudar tudo.

Devoção, é uma "prima" mais recatada de "50 Tons de Cinza", que por sua vez é uma "prima" sem vergonha de "Crepúsculo". Não estou dizendo que a história é igual, porque de fato não é. É só da mesma “família”. Segue a linha de mulher um pouco insegura que fala dormindo, e cara ridiculamente lindo e rico que “do nada” fica obsessivo por dela. 
Porém, mesmo sendo recatada (NEM TANTO), é um livro indicado somente para maiores de 18 anos.
Brooke é uma mulher forte, e independente, que apesar da acomodação no emprego, o faz com muita competência, e luta para aprender mais e conquistar seu espaço. Jett, por outro lado, é um garanhão galanteador, um pouco canalha, que quando teima com alguma coisa, persegue até conseguir (isso te lembra alguma coisa?), e nesse caso, essa "coisa"é a Brooke. 
– Você está bem? Parece um pouco confusa. – Jett Mayfield sentou-se à minha frente e se inclinou, os braços descansando nas coxas, como que para me inspecionar mais de perto.
Um brilho divertido surgiu em seus diabólicos olhos verdes. O cara era um pedaço de pecado. Se ele fosse o diabo segurando um contrato, esse seria o momento em que eu cederia à tentação e entregaria minha alma. 

Sendo uma mulher linda e atraente, além de determinada, Brooke  ganha o interesse de Jett desde o primeiro contato. Mayfield (Jett) acaba achando um jeito de pôr Brooke para trabalhar para ele, e a iminente aproximação deles por conta disso, a deixa tensa e perturbada. 

Apesar da insistente recusa, – Brooke não é dessas que vai com qualquer um a qualquer lugar – ela como todo ser humano falho do mundo, acaba sucumbindo aos encantos do “diabólico senhor Mayfield” como ela mesma diz. 

E tudo o que Brooke não queria, acontece: ela se apaixona por ele, o que deixa as coisas um pouco complicadas já que ela sempre fugiu de relacionamentos sérios, e quando sentia que gostava de alguém, seu primeiro impulso era abandonar, fugir e deixar para trás. Mas com Jett, era diferente, porque, trabalhando para ele, seria difícil  simplesmente deixar para trás tudo, inclusive o emprego que estava mudando sua vida. E tinha outra coisa também: Ela não queria deixá-lo. E isso a incomodava profundamente. 

O passado de Brooke tinha segredos que ela mantinha a sete chaves, até que um negócio entra em cena, e muda drasticamente a vida dela. Fica a dúvida, será que Jett a conquistou de propósito, ou foi o acaso que os juntou?
"...Ele era apenas um homem, pelo amor de Deus. Eu poderia lidar com sua espécie. 
Um enorme luminoso de neon passou diante dos meus olhos:
“GRANDE ERRO, GRANDE ERRO!”

OH GOD, eu gostei de verdade desse livro. Apesar de  ser o mesmo clichê de sempre, eu realmente gostei do enredo. Ele tem aquela pegada “safadenha” mas não chega a ser um "50 Tons de Cinza" em sua sensualidade. È sim, um livro erótico, por isso a indicação (+18) mas a autora pega leve na sacanagem e deixa a coisa muito mais sensual, do que sexual. E foi exatamente por isso que eu gostei.

Ele fica exatamente no meio entre as duas obras que comentei ali em cima: "Crepúsculo" e "50 Tons de Cinza". Exatamente no meio. Além de os personagens serem muito mais fortes e “reais”. Você encontra uma mulher blindada contra romances e caras sexys que tentam furar esse bloqueio através da sensualidade. Normal., isso torna a história muito mais cabível e por isso muito mais próxima da realidade, o que faz a nossa imaginação voar muito, muito longe. 

O que eu gostei: O livro é simples e bonito. Não encontrei erros na gramática ou digitação. A autora descreveu muito bem as cenas, e os diálogos foram muito bem explorados e colocados. É extremamente fácil de ler, muito confortável, e o enredo conseguiu me prender ao livro (o que quer dizer que eu fiquei, tipo, dois dias lendo quase sem parar). Muito bom mesmo. Indico, para quem gosta de um romance um pouco turbulento e picante.

O que eu não gostei: Por enquanto, nada ficou pendente para mim. Pelo que o enredo representa, a história coube de maneira certa no livro. Pra mim, não faltou e nem sobrou nada. O clichê é algo presente sempre, é por isso que tem os “clichês literários” é preciso entender a história e tentar tirar o diferencial dela em meio à tantas outras parecidas, e ela fez bem o seu papel, então, sem pontos negativos!

Ele é uma trilogia, então quero logo ler o próximo!

Comentários
1 Comentários

{ 1 comentários... comente você também }

  1. Oi!
    Já li algumas resenhas desse livro e me parece uma boa leitura, gostei muio da personagens da Brooke ela me parece o tipo de personagem que tem um passado que a ensinou a ser forte, e gostei dessa historia ter um ar mais real, quero da uma olhada pra ver se gosto !!!

    ResponderExcluir

^

- Copyright © 2013 Quatro Amigas e um Livro Viajante - Hospedado pelo Blogger -