Postado por : Eveline Maciel 25 abril 2014

Um bolinho é só o começo
Saga: Ame-me como sou #1
Autora: Ara Mystake
Páginas: 156
Editora: Multifoco
Resenha por: Eveline Maciel
Compre com desconto:
Site da Autora | Cultura
Travessa | Amazon Saraiva
 
Quando eu peguei o livro "Um bolinho é só o começo" pensei em se tratar de mais uma história aonde leria os dramas de protagonista rejeitada pela sociedade, mas quando comecei a leitura, confesso que me surpreendi com a escrita da autora Ara Mystake, que além dos dramas do dia a dia de uma pessoa acima do peso, também escreve um MA-RA-VI-LHO-SO conto com bastante erotismo, sensualidade e amor.
Fernanda, a protagonista da história, tem complexo com seu peso, evita experimentar roupas, adora comer coisas gostosas e convive diariamente com o preconceito da sociedade por ser acima do peso ideal.

Não vestir um jeans 36, não ter 1.80m de altura, não ser loira, não ter olhos azuis, não usar um Louboutin. A sociedade às vezes pode tornar-se cruel em tempo integral com pessoas que não seguem o seu "padrão", uma palavra tão pequena mas que nos rodeia e nos atormenta no dia de hoje, essa é a luta diária de Fernanda e de tantas gordinhas pelo mundo.

E quando não se segue esse padrão, até o simples ato de entrar em uma lojas de roupas se torna doloroso, pois o preconceito se encontra no olhar das pessoas que te lançam aquele olhar "nada aqui te cabe, sai". Eu passo por isso infinitas vezes, é chato, sofrível, massante, e a autora mostrou REALMENTE entender esse e tantos outros sofrimentos do nosso dia a dia no livro.

"... Aquele olhar era o que mais odiava. Pura reprovação, como se ela não tivesse o direito de estar ali, de sair pelas ruas, de existir. Podia não caber naquelas roupas, naqueles perfeitos padrões, tinha tentado duramente e desistido depois de tantos fracassos, mas tinha o direito de viver, de olhar qualquer pessoa nos olhos, Aquelas roupas podiam estar longe de seu alcance, mas o mundo pertencia a ela também. Não precisava da aprovação de ninguém para caminhar livremente por ele, para ser feliz vivendo nele."

Além dessas dificuldades do dia a dia, a autora também levantou uma questão de suma importância. Em uma sociedade tão superficial será que alguém é capaz de enxergar além das aparências, dos fracassos, dos sonhos que deixamos na nossa cama e levantamos pra enfrentar a selva de pedra? Será que também é padrão ser amado somente pelo que se mostra e não pelo o que se é de verdade?

"... Dois homens olhavam em sua direção. Seguiu com os olhos a mulher que passou a sua frente. Jeans apertado, blusa modelando a cintura... Era óbvio que os homens olhavam e não era ela e seus muitos quilos acima do peso. Mas, por um instante, imaginou ser objeto de admiração dos homens que lançavam olhares de desejo em sua direção..."

E aí, um olhar pode mudar tudo.

"Queria guardar só mais um pouco daquela sensação. Ao virar-se encontrou os olhos escuros ainda a encarando. Procurou a mulher, mas não encontrou, nem ninguém digno daquele olhar. OLHAVA-A?"

Ricardo por sua vez está cansado de ficar só e, incentivado por seu irmão, decide sair em busca de sua "deusa". Com o destino se encarregando de cruzar seu caminho com o de Fernanda, Ricardo sente uma forte atração pela moça, e no decorrer do livro nos cativa com seu carinho e atenção a Fernanda e com seus complexos, mostrando tanto para ela, como para os leitores, de que aparência de fato não é tudo na vida, e que somos bonitos pelo o que demonstramos ser e não pelo típico físico ou status.

"- Não, por que eu estaria te traindo?
- Por quê? Que tipo de pergunta é essa?
- Você está dizendo que pensou que eu estava te traindo. Quero saber porque eu faria isso.
- Porque ela é bonita, é o tipo de mulher certo pra você.
- E você não?"

Ara mostrou que quando não conseguimos lutar por nós mesmo, sempre terá alguém que vai nos amar como somos, aceitar nossos defeitos, nossas lamúrias, nossa baixa estima, os preconceitos que carregamos conosco, tabus, tudo isso. E que quando se resolve ter uma vida a dois, não importa, qual seu manequim, ou se você tem alguns tiques, importa quem você é por dentro e isso basta. E Ricardo deixa isso bem claro durante todo o livro, ele pode ser o oposto físico da Fernanda, mas só ela e apenas ela completa-o por inteiro. O livro passa a mensagem de que por mais que não nos encaixemos nos padrões, há sempre alguém que vai largá-lo para se encaixar na gente, por essa pessoa sim, vale a pena, sorrir, se entregar, não sentir medo.

"- Andou falando com Bruno?- a interrompe
- Bruno? Não.
- Ele me disse a mesma coisa.
- Que sua consultora é o tipo certo pra você?
- Não, que você não é meu tipo de mulher. Por que ela é meu tipo de mulher e você não?
- Porque ela está dentro dos padrões.
- Que padrões? Quem definiu esses padrões? Eu defino meu tipo de mulher e escolhi você."

Uma leitura rápida, envolvente e que me surpreendeu por não ser somente um! Escreve logo o segundo Ara! Todos os personagens têm sua devida importância no enredo, o que achei bem interessante. Ricardo e Fernanda formam um casal maravilhoso, se completando nas dificuldades, alegrias, medos e insegurança, ele a apoia e ela se mostra uma mulher perfeita para ele em todos os quesitos.

Minha dica é que compre e se renda aos encantos do livro porque com toda certeza Um bolinho é só o começo é uma ÓTIMA E PERFEITA leitura. Boa viagem para vocês nas páginas desse maravilhoso livro e que venha Ame-me como sou 2.

"- Então qual é o plano?
- Plano? - Ele a encara confuso.
- Sim, você me convidou pra sair e estamos aqui. E agora qual é o plano?
- É um plano simples, agora eu peço seu telefone.
- E depois?
- Depois eu ligo.
- É um plano simples.
- Essa é a parte fácil."

Comentários
7 Comentários

{ 7 comentários... comente você também }

  1. Olá :D
    não conhecia o livro, mas parecia ser bem legal ao mostrar a realidade das "gordinhas" e mostrar que elas podem dar a volta por cima e encontrar pessoas que nem ligam para o "padrão"
    Parabéns pela resenha
    Beijos, Thaynara
    Livros com Bolinhos

    ResponderExcluir
  2. Ah, que lindo! Realmente amei a proposta do livro.
    Eu não daria muito por ele à primeira vista, mas parece ser bem surpreendente.
    É muito legal quando um livro trata de assuntos tão importantes que afligem nossa sociedade, e o melhor: com personagens marcantes, enredo leve e cativante. Adorei a resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha Eve e já quero o livro para ler,imediatamente!!!

    Não conhecia o livro e nem a autora,mas sinto que necessito ler essa história.

    bjssss

    Bianca

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  4. OIeee Eve *-* Adorei a resenha..me tocou de uma forma bem legal.. Eu sei o que é sofrer preconceito por não estar dentro de padrões que algum louco criou e todo mundo resolveu copiar.
    Acho válido alguém mostrar que a pessoa é muito mais que sua aparência e que sempre tem mais a oferecer do que demonstra. Todos nós merecemos sermos felizes *-*

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia autora e livro, mas gosto qdo esses padrões exigidos pela sociedade são debatidos. Quem disse que todos têm de ser iguais? A aparência é quem dita tudo, infelizmente.

    ResponderExcluir
  6. aiii gente que lindo vocês todos comentando e dizendo que gostaram! Obrigada pela gratificação e sim, esses preconceitos precisam ser debatidos e acima de tudo superados.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    O livro parece ser muito bom mesmo, pois ele realmente nos mostra algo verdadeiro sobre nossa sociedade, que liga muito para a aparência física das pessoas, quero muito ler o livro, adorei a sua resenha também.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir

^

- Copyright © 2013 Quatro Amigas e um Livro Viajante - Hospedado pelo Blogger -